Lançamento do Livro “Estudos sobre André Soares, o rococó e o tardobarroco do Minho e do Norte de Portugal”

Realiza-se no próximo dia 15 de Junho, nas instalações da CIM Cávado, pelas 18h00, o lançamento do livro “Estudos sobre André Soares, o rococó e o tardobarroco do Minho e do Norte de Portugal, vol. 1”, do autor Eduardo Pires de Oliveira. A apresentação do livro será feita por Henrique Barreto Nunes, também autor do prefácio da obra.

Este livro que agora se apresenta é composto por 15 estudos, uns provenientes da tese de doutoramento do autor, e outros escritos posteriormente. Tendo em conta que em 2020 passarão 300 anos sobre o nascimento de André Soares, espera-se que este livro ajudará a preparar essa data histórica.

Recorde-se que André Soares (1720-1769) foi o mais importante artista português do seu tempo, nomeadamente nas áreas da arquitetura e talha. Poderá um dia vir a ser também reconhecido como um dos maiores nomes europeus do seu tempo. André Soares poderá ser um dos principais motores de desenvolvimento do Turismo no Norte de Portugal e de motivo de orgulho dos seus povos. Essa foi uma das razões que levaram o autor a dedicar-lhe a tese de doutoramento (André Soares e o rococó do Minho) defendida na Universidade do Porto.

Eduardo Pires de Oliveira é doutorado em História de Arte na Universidade do Porto, sob o tema “André Soares e o rococó do Minho” e já publicou cerca de 200 livros, artigos e comunicações em congressos sobre o Património Cultural Minhoto e sobre a Diáspora da Arte Minhota Barroca e Rococó pelo mundo, com especial relevo em Minas Gerais. Investigador integrado do ARTIS, Instituto de História de Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, é também um académico correspondente da Academia Nacional de Belas Artes. Já foi condecorado com o Prémio José de Figueiredo (Academia Nacional de Belas Artes), em 1994 e é sócio fundador da ASPA – Associação para a Defesa, Estudo e Divulgação do Património Cultural.

Viana do Castelo. PJ de Braga detém abusador sexual de criança

A Polícia Judiciária (PJ) de Braga anunciou hoje a detenção de um homem de 24 anos pela presumível autoria da prática de um crime de abuso sexual de criança, ocorrido em Viana do Castelo, durante dois meses.

Em comunicado, a PJ acrescenta que em causa estão “atos sexuais de relevo”, tendo o agressor aproveitado “a proximidade e a vulnerabilidade” da menor.

O detido foi presente a interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de proibição de contactos e de frequência de locais com crianças.

 

Fão. Ex-vereador do CDS-PP de Braga acusado de burla de terrenos em Ofir

O advogado, e ex-vereador da Câmara de Braga do CDS-PP, Miguel Brito vai ser julgado por, alegadamente, se ter apoderado de 48 mil euros relativos a sinal de 10% do valor total da venda de quatro terrenos em Ofir, na freguesia da Vila de Fão, concelho de Esposende, avaliados em 480 mil euros.

O caso envolve também um antigo deputado do mesmo partido de Miguel Brito, José Martins Pires da Silva, cônsul honorário de Portugal em Orense, Galiza (Espanha), que é o queixoso.

Segundo o Ministério Público (MP), foi falsificada uma assinatura, acusando Miguel Brito de “burla qualificada”.

O ex-vereador centrista de Barga está acusado de “se ter feito passar como representante da empresa Seara do Outeiro, de Esposende, para conseguir convencer interessados na aquisição dos terrenos”, quando, e segundo o MP, o verdadeiro representa seria José Martins Pires da Silva.

Terá sido através de uma procuração, alegadamente, falsa que Miguel Brito conseguiu um sinal para o negócio.

Miguel Brito vai prestar declarações públicas sobre o caso no início do julgamento, guardando para essa altura a “sua” versão do factos.