Manuel Miranda: O Sapador Florestal do Cávado domador de fogo

A paixão pelos bombeiros está-lhe no sangue, até porque é filho de um dos fundadores dos Bombeiros Voluntários de Viatodos (BVB), corporação do concelho de Barcelos, mas foi nas manobras do fogo, no domínio das frentes de chamas, que Manuel Miranda começou a “falar” com os incêndios.

Aos 39 anos de idade é apelidado pelos colegas como “rei do fogo” e sempre que as coisas complicam nos incêndios florestais um pouco por todo o distrito de Braga é um “chamem o Miranda”.

Manuel Miranda é funcionário, como profissional, da Associação Florestal do Cávado, onde é Sapador Florestal de Barcelos. Entre várias valências, este barcelense é um dos sete especialistas do distrito habilitados por usar a manobra de contra-fogo e de fogo controlado.

“O contra fogo é uma manobra que se faz na frente de fogo ou para desviar um frente que vai no caminho, por exemplo, de uma povoação, uma manobra técnica designada por superação do fogo. Já o fogo controlado é realizado mais como prevenção, por exemplo, em queimadas ou a criar zonas negras para numa época de incêndios serem utilizadas nas manobras de combate aos fogos florestais. Também é usada esta manobra para criar pastos”, afirma Manuel Miranda.

Só neste verão o Sapador Florestal, que tem a designação técnica, utilizou o contra fogo em 16 grandes incêndios, desde Fafe, passando por Vila Verde, chegando a Esposende, todos solicitaram a presença de Manuel Miranda.

“Para utilizar esta técnica temos que ter o local bem estudado para termos a nossa janela de oportunidade. Perceber termicamente o local, fazer um planeamento, perceber o historial de incêndios naquele local, e outras situações que em conjunto permitem a utilização desta técnica. Também solicitamos o meteograma, um instrumento que nos mede a pressão atmosférica, a velocidade vento a humidade e a temperatura exacta em 36 horas”, frisa Manuel Miranda, que destaca ainda que “o contra fogo mal aplicado pode provocar situações drásticas”.

“Esta situação técnica de combate ao fogo fica registada em fita de tempo e tem que receber sempre luz verde da Autoridade Nacional da Protecção Civil via Centro Distrital Operacional de Socorro. Caso contrário a autoridade no local pode nos mandar prender”, refere o sapador que tem ferramentas próprias para combater a frente de incêndio.

“Temos sempre uma mistura de gasolina com gasóleo. Esta mistura depende do tipo de terreno que vamos encontrar. Esta mistura é colocada no pinga lume, depois temos uma carta de ventos e as ferramentas de protecção pessoal. Telemóvel também é fundamental, pois consultamos com frequência o googleearth. Um rádio amador também anda sempre com o sapador”, inúmera.

A título pessoa Manuel Miranda diz que os sapadores são atualmente a profissão, sendo que os bombeiros preenchem a parte de voluntário. Mesmo assim, e como conta, Manuel Miranda realizou todas a acções de contra fogo como voluntário.

“A floresta é um bem muito precioso e que devemos proteger. Acredito que a prevenção é fundamental na defesa desta riqueza”, deixa em tom de mensagem Manuel Miranda.

Barcelos. Piscinas Municipais reabrem após obras de requalificação e beneficiação

Reabriram dia 12 de março as Piscinas Municipais, concluídas que estão as obras de requalificação e beneficiação, que incidiram nos sistemas hidráulico, mecânico, cobertura e envidraçados.

Depois de feitas inspeções regulares de manutenção por técnicos no edifício das Piscinas Municipais, detetou-se a necessidade de renovar e introduzir melhorias ao nível da cobertura e dos equipamentos hidráulicos, mecânicos e da qualidade do ar interior das piscinas, que careciam de obras de requalificação e beneficiação, decorridos que estão quase 18 anos sobre a abertura ao público das Piscinas.

A cobertura do edifício foi alvo de substituição e dotada de um reforço do isolamento térmico que melhorará o comportamento térmico da envolvente exterior, eliminando pontos de infiltrações de água.

Os vãos envidraçados foram reforçados ao nível da estrutura, com a reparação de todos os equipamentos hidráulicos e mecânicos assim como de ventilação. A intervenção na área da ventilação, nomeadamente a substituição do sistema de desumidificação, vai permitir melhorar significativamente a qualidade do ar interior das Piscinas.

Foram ainda substituídas as condutas de aspiração na nave da piscina, substituídos os filtros de areia e renovado o sistema de ventilação/climatização.

A obra teve um custo de 563.605,80€ euros, acrescido de IVA, numa área de implantação de 2.900,00m2.

Barcelos. O melhor do património gastronómico, do vinho e do turismo vai a concurso

O Município de Barcelos formalizou candidatura às “7 Maravilhas à Mesa”, propondo a concurso o melhor do património gastronómico, do vinho e do turismo do concelho.

O galo assado à moda de Barcelos, um roteiro de experiências únicas relacionado com a olaria e a riqueza do património material e imaterial, com destaque para a Feira Semanal, são os alicerces desta candidatura apresentada pelo Município, tendo como pano de fundo a recente integração da Rede das Cidades Criativas da UNESCO.

O programa “7 Maravilhas à Mesa” tem o Alto Patrocínio do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, da Secretaria de Estado do Turismo, e da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e é desenvolvido em parceria com a Associação de Municípios Portugueses do Vinho. Promove, desde 2007, os grandes valores da identidade nacional, realizando iniciativas de valorização do património histórico, natural, gastronómico, as praias e as aldeias de Portugal.

O tema escolhido para este ano foi “7 Maravilhas à Mesa”, que inclui gastronomia, vinhos e azeites e roteiros turísticos. Tendo em conta as enormes potencialidades de Barcelos nestes domínios, o Município efetuou esta candidatura com o objetivo de promover os seus melhores produtos e ver reconhecida a riqueza do seu património.

Na categoria de Gastronomia, no património carne e caça, o Município sugere o famoso galo assado à moda de Barcelos, especialidade que remete para a lenda do Galo.

Na categoria de Vinhos e Azeites, Barcelos concorre nos vinhos brancos e tintos, como exemplares produzidos em quintas do concelho das castas Loureiro / Alvarinho e Vinhão, respetivamente.

Na categoria de roteiros, a candidatura do Município apresenta propostas em quatro domínios: Património Histórico, Cultural e Natural (Torre Medieval), Museus (Museu de Olaria), Eventos de Afirmação Local (Feira Semanal) e Experiências Únicas (modelação em barro e pintura de cerâmica).

À semelhança das edições anteriores, um painel de especialistas avaliará as candidaturas de forma a elaborar uma lista de 49 pré-finalistas, sete de cada região, que posteriormente serão votadas pelo público.