Barcelos. Regressa a Festa das Cruzes com palco no Cávado e batalha de flores

Os concertos de Mariza e Herman José & Big Band são dos principais destaques da Festa das Cruzes, a realizar-se entre 25 de abril e 6 de maio em Barcelos, e que este ano volta a apresentar novidades, designadamente um novo palco localizado na Frente Ribeirinha.

O cartaz da Festa das Cruzes 2018, apresentado hoje pelo presidente da Câmara Municipal, Miguel Costa Gomes, revela um programa que conjuga da melhor forma as vertentes religiosa e profana, tendo este ano como pano de fundo a eleição de Barcelos como Cidade Criativa da UNESCO.

O Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, referiu na sua intervenção que “há muitos motivos que nos orgulham e o facto de termos sido distinguidos como Cidade Criativa da UNESCO é um deles e terá um grande impacto nesta edição da Festa das Cruzes”. Miguel Costa Gomes frisou também o facto de “ainda esta semana o Município ter sido distinguido com o Prémio Nacional de Artesanato e a artesã Júlia Ramalho ter recebido o Grande Prémio Carreira, o que nos torna uma grande referência a nível nacional na área do artesanato e é isto que nos diferencia e enriquece também a Festa das Cruzes”.

O Provedor da Real Irmandade do Senhor da Cruz, Pedro Ferreira, abordou a temática dos “tapetes de pétalas naturais que estarão expostos no Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz, a partir do dia 27 de abril” criando ainda expectativas sobre “a inauguração do restauro do Couto dos Cónegos, que é um local pouco visível, mas que a partir da conclusão do seu restauro, será um ponto de passagem para quem visitar Barcelos e o Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz”.

Já o Prior de Barcelos, Monsenhor Abílio Cardoso, abordou a parte religiosa, aludindo à “Grandiosa Procissão da Invenção da Santa Cruz que atingiu um estatuto único nos últimos anos, e que é o ponto alto da vertente religiosa”.

Assim, a primeira grande romaria do Minho tem para oferecer aos barcelenses e às centenas de milhares de turistas que ao longo deste 12 dias passarão a Barcelos dezenas de eventos culturais, desportivos, religiosos e lúdicos, através de um programa ancorado na tradição e que, como não podia deixar de ser, vai ao encontro do gosto popular, procurando, também, cada vez mais, cativar o público mais jovem.

Do cartaz musical destacam-se as atuações do humorista Herman José acompanhado pela sua Big Band (28 de abril) e da fadista Mariza (30 de abril), espetáculos que terão lugar, pela primeira vez, na Frente Ribeirinha.

A criação de um terceiro palco junto ao Rio Cávado (além dos palcos na Avenida da Liberdade e Jardim das Barrocas) visa expandir a Festa das Cruzes valorizando, dessa forma, a envolvente urbana e promovendo a maior mobilidade dos foliões dentro da cidade, além de ser um espaço que pode acolher mais pessoas e que proporciona ao público uma melhor visibilidade para os concertos.

Ainda no plano musical, haverá ainda mais grandes concertos nos outros dois palcos da romaria, como o dos Santa Maria (27 de abril, no palco da Avenida da Liberdade), e de Ana Malhoa (dia 2 de maio, no palco do Jardim das Barrocas).

O programa da Festa das Cruzes dá palco, igualmente, aos novos valores musicais e instituições do concelho, contando com as atuações do Conservatório de Música de Barcelos (dia 25 de abril, no palco da Avenida da Liberdade), da Banda Sópodia (26 de abril, palco da Avenida da Liberdade), da Magistuna (1 de maio, no palco da Avenida da Liberdade), da Banda Musical de Oliveira (1 de maio, no palco da Avenida da Liberdade), além das diversas associações e grupos de Zés Pereiras do concelho que animarão as ruas da cidade.

Mantendo a sua vertente tradicional, a Festa das Cruzes volta a ter como um dos muitos pontos altos a Batalha das Flores (dia 1, às 15h00, na Avenida da Liberdade), este ano subordinada ao tema “Barcelos Cidade Criativa”. Dezenas de associações do concelho colhem as flores com as quais, depois, se vão digladiar num espetáculo único e de rara beleza.

O envolvimento do movimento associativo local evidencia-se, também, com as Rusgas ao Senhor da Cruz (29 de abril, 15h00, na escadaria do Templo do Senhor da Cruz).

A vertente religiosa assume extrema importância no cartaz da romaria, sendo a Grandiosa Procissão da Invenção da Santa Cruz (dia 3 de maio, feriado municipal, às 17h30), na qual desfilam as cruzes das 89 paróquias do concelho, uma das principais atrações. Os Tapetes de Pétalas Naturais patentes no Templo do Senhor da Cruz (inauguração no dia 27 de abril, às 18h00) são um ponto de passagem obrigatório para quem visita Barcelos por este dias de festa.

À feição dos últimos anos, a Festa das Cruzes mantém a aposta em cativar o público jovem e, mais uma vez, o “Bamos às Cruzes” vai animar os foliões até de madrugada com muita música e bares na Alameda das Barrocas. Nos dias 27, 28 e 30 de abril e 2, 4 e 5 de maio pelo recinto do “Bamos às Cruzes” vão passar artistas e DJ como Insert Coin, Zecadegas, Ruizinho de Penacova, Los Bravos ou Isabel Figueira, entre muitos outros.

Barcelos. O melhor do património gastronómico, do vinho e do turismo vai a concurso

O Município de Barcelos formalizou candidatura às “7 Maravilhas à Mesa”, propondo a concurso o melhor do património gastronómico, do vinho e do turismo do concelho.

O galo assado à moda de Barcelos, um roteiro de experiências únicas relacionado com a olaria e a riqueza do património material e imaterial, com destaque para a Feira Semanal, são os alicerces desta candidatura apresentada pelo Município, tendo como pano de fundo a recente integração da Rede das Cidades Criativas da UNESCO.

O programa “7 Maravilhas à Mesa” tem o Alto Patrocínio do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, da Secretaria de Estado do Turismo, e da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e é desenvolvido em parceria com a Associação de Municípios Portugueses do Vinho. Promove, desde 2007, os grandes valores da identidade nacional, realizando iniciativas de valorização do património histórico, natural, gastronómico, as praias e as aldeias de Portugal.

O tema escolhido para este ano foi “7 Maravilhas à Mesa”, que inclui gastronomia, vinhos e azeites e roteiros turísticos. Tendo em conta as enormes potencialidades de Barcelos nestes domínios, o Município efetuou esta candidatura com o objetivo de promover os seus melhores produtos e ver reconhecida a riqueza do seu património.

Na categoria de Gastronomia, no património carne e caça, o Município sugere o famoso galo assado à moda de Barcelos, especialidade que remete para a lenda do Galo.

Na categoria de Vinhos e Azeites, Barcelos concorre nos vinhos brancos e tintos, como exemplares produzidos em quintas do concelho das castas Loureiro / Alvarinho e Vinhão, respetivamente.

Na categoria de roteiros, a candidatura do Município apresenta propostas em quatro domínios: Património Histórico, Cultural e Natural (Torre Medieval), Museus (Museu de Olaria), Eventos de Afirmação Local (Feira Semanal) e Experiências Únicas (modelação em barro e pintura de cerâmica).

À semelhança das edições anteriores, um painel de especialistas avaliará as candidaturas de forma a elaborar uma lista de 49 pré-finalistas, sete de cada região, que posteriormente serão votadas pelo público.

Saúde. Bloco de Esquerda exige novo hospital em Barcelos

O Bloco de Esquerda (BE) exigiu hoje obras “urgentes” de requalificação do Hospital de Barcelos e a inclusão no próximo Orçamento do Estado da construção de uma nova unidade hospitalar naquela cidade.

Em conferência de imprensa, o deputado bloquista Pedro Soares defendeu ainda a necessidade de dotar aquele hospital de mais profissionais de saúde e de mais equipamentos, para inverter um quadro de funcionamento que diz estar “próximo do caótico”.

“De uma forma intencional ou não, esta é uma situação que serve os objetivos da PPP [parceria público-privada] do Hospital de Braga, para onde são sistematicamente encaminhados os utentes do Hospital de Barcelos”, referiu.

Segundo Pedro Soares, urge inverter o desinvestimento no Hospital de Barcelos e a sua perda e capacidade de tratamento e socorro, com obras urgentes de requalificação e com o reforço de pessoal e equipamentos.

O BE vai ainda pugnar pela inclusão no Orçamento do Estado para 2019 da construção de um novo hospital em Barcelos.

Pedro Soares deixou o repto à “conjugação de esforços”, na luta pelo novo hospital, entre câmaras municipais dos concelhos servidos pelo hospital (Barcelos e Esposende), freguesias, forças políticas e deputados eleitos pelo distrito de Braga.

O dirigente do BE/Barcelos José Maria Cardoso disse que, atualmente, o Hospital de Barcelos está transformado “numa espécie de centro de saúde um bocadinho maior” ou num “centro de triagem de doentes para Braga”.

A funcionar num edifício propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, o hospital dá resposta a 154 mil habitantes daquele concelho e de Esposende.

Em 2007, o Governo e a Câmara de Barcelos assinaram um protocolo para a construção do novo hospital daquela cidade.

Segundo o protocolo, à câmara caberia adquirir os terrenos necessários para o efeito.

O projeto do hospital seria depois apresentado publicamente pelo então secretário de Estado da Saúde, Manuel Pizarro.

No entanto, o processo nunca saiu da gaveta.

Na sexta-feira, o Bloco de Esquerda apresentou, na Assembleia da República, uma pergunta dirigida ao Ministério da Saúde, questionando se tem conhecimento da situação do Hospital de Barcelos e quais são os planos do Governo sobre obras de requalificação das atuais instalações e sobre a construção de um edifício de raiz.