Menu

Câmara de Esposende avança para “utilidade pública” para ficar com terrenos “do canal”

A construção de um canal para evitar inundações na cidade de Esposende deve começar em maio e estender-se por seis meses, num investimento de 4,5 milhões de euros. A obra ainda não tem financiamento e aguarda por fundos comunitários, através do Programa Operacional da Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR).

Segundo a fonte, a câmara procura chegar  a acordo com alguns proprietários, mas caso não o venha a conseguir, a solução passa por  requerer da declaração de utilidade pública para as parcelas. procedendo-se desta forma à respetiva expropriação.

Em causa está a construção de um canal intercetor desde a rotunda da empresa Solidal, na cidade, até Marinhas, numa extensão de 4,5 quilómetros, que visa minimizar as cheias que assolam o concelho durante os meses de inverno.

Para o presidente da câmara, Benjamim Pereira, afirma que “esta é uma oportunidade excecional para resolver um dos mais difíceis problemas da zona urbana de Esposende, mas também de Marinhas e Gandra”.

Jornalista - Carteira Profissional Nº CO/1250