Menu

Póvoa de Varzim. Poesia do Correntes celebrada musicalmente pela Lisbon Poetry Orchestra

O Cine-Teatro Garrett recebeu na quarta-feira (22) um espetáculo musical de celebração da poesia da 18ª edição do Correntes d´Escritas, por parte da Lisbon Poetry Orchestra (LPO).

Integralmente baseado nas obras finalistas do Prémio Literário Casino da Póvoa, de António Carlos Cortez, Armando Silva Carvalho, Daniel Jonas, Filipa Leal, Luís Filipe Castro Mendes, Miguel-Manso, Nuno Júdice e Paulo José Miranda, o coletivo multidisciplinar composto por quatro músicos levou a plateia por uma viagem pelo imaginário destes autores, à descoberta e reinvenção da palavra dita e cantada.

Com curadoria do escritor e poeta Fernando Pinto do Amaral, a poesia, declamada, musicada e ilustrada com temas originais compostos pelo grupo, foi o eixo central do espetáculo. Na companhia de outros convidados, nomeadamente músicos, atores, diseurs, performers, vídeo artistas, gráficos, ilustradores e designers de suportes digitais, os quatro músicos inovaram pela criação de momentos musicais ilustrados pelas imagens projetadas em vídeo e que, pela força da poesia, induziram o espetador num imaginário único e pessoal.

Intitulada “Poetas Portugueses de Agora”, esta iniciativa faz parte da primeira fase de um processo que resultará na edição de um trabalho discográfico com o mesmo título ainda a acontecer em 2017.

Ao longo da sua ainda curta história de vida, a LPO, entre outros desafios, registou um conjunto de composições no álbum “De Lisboa para o Mundo”, usando Lisboa como mote para o repertório escolhido. Concebeu e produziu o espetáculo “Os Surrealistas”, para o Festival Silêncio e estreou no Centro Cultural de Belém, com a colaboração de um quarteto de cordas, um espetáculo inteiramente baseado na majestosa compleição da poesia universal “A Rosa do Mundo”.