Menu

Autárquicas. João Cepa candidata-se como independente à Câmara de Esposende

O ex-presidente da Câmara de Esposende João Cepa, que liderou o município durante quase 15 anos, sempre eleito pelo PSD, anunciou hoje a recandidatura ao cargo, mas desta vez como independente.

“É uma candidatura sem amarras políticas, mas também um projeto multipartidário, com pessoas oriundas de vários quadrantes”, referiu João Cepa, em conferência de imprensa, com a presença de mais de uma centena de pessoas.

Na apresentação da candidatura marcaram presença, entre outros, o atual vereador do PS na Câmara de Esposende, João Nunes, e o líder da Concelhia local do CDS-PP, João Lopes.

O centrista disse aos jornalistas que vai propor à Concelhia que apoie a candidatura de João Cepa.

Na sua intervenção, João Cepa disse ainda que tem na sua lista “um lugar reservado” para o atual vereador social-democrata Rui Pereira.

“Já o convidei, mas ele disse que não toma nenhuma decisão até à data limite para apresentação das candidaturas, alegando que fazê-lo antes seria uma deslealdade para com o atual executivo”, referiu Cepa.

O atual presidente da Câmara de Esposende, Benjamim Pereira, que foi o número dois de João Cepa no anterior mandato, também já anunciou que se vai recandidatar, pelo PSD.

Cepa sublinhou hoje que em 2013 não foi candidato apenas e só por força da lei de limitação de mandatos, tendo deixado projetos por concretizar.

Disse ainda que não se revê na forma como o atual executivo tem gerido o município, “com uma aposta essencialmente na mediatização e na imagem”, em detrimento da coesão social, da educação e da criação de emprego.

Se for eleito presidente da Câmara, uma das suas primeiras medidas será suspender o projeto de construção de um canal para evitar as cheias na cidade, se tal for exequível do ponto de vista financeiro e legal.

Para Cepa, trata-se de uma “obra faraónica”, que exigirá um investimento municipal “desmesurado” e cujos custos de manutenção serão um “sorvedouro” dos cofres camarários,

Em vez do canal, o candidato prometeu construir a variante à EN-13, que considera que resolverá tanto o problema das cheias como o problema do tráfego na malha urbana.

Disse ainda que reduzirá em 80 por cento, o equivalente a 400 mil euros, as despesas com publicidade e comunicação, verba que usará para devolver aos munícipes a participação da Câmara no IRS.

Garantiu ainda que se não ganhar as eleições mas for eleito vereador cumprirá o mandato até ao fim.

Jornalista - Carteira Profissional Nº CO/1250