Menu

Escola. “Amor” com 12 anos subiu a proscénio para celebrar “Contrato de Leitura” na Henrique Medina

“Doze anos de sucesso e uma estratégia positiva”. É desta forma que Catarina de Brito, professora da Escola Secundária Henrique Medina (HM), Esposende, avalia os “Contratos de Leitura”, um programa que desenvolve a oralidade e a leitura e que esta noite de sexta-feira “subiu a proscénio” na HM.

“Eles ficam bem preparados. Os alunos ficam a falar muito bem e prepara-os para a faculdade, para além de os tornar cidadãos que sabem utilizar a língua portuguesa”, frisou Catarina de Brito.

A temática deste ano do “Contratos de Leitura” foi “o amor”, indicou ao V a professora, acrescentando que o trabalho para o “contrato” é feito ao logo ano.

“Eu dou-lhes livros à escolha e depois eles decidem. Tem que ser literatura com fins pedagógicos e didáticos. O primeiro momento é da pesquisa e depois planeamento. Também aprendem cinco palavras poucos usais, num projeto que os obriga a utilizar essas palavras ao longo dos períodos letivos. São 45 ao longo de um ano”, refere a professora, numa espécie de linhas mestras do programa.

O projeto abrange turmas do 10º ao 12º ano e Daniel Lima, do 12ºC, referiu que o projeto é um contributo que desenvolve, na prática, “dotes da oralidade”.

“Considero que nos tem ajudado a falar melhor e a estimular a leitura. Essa é agora a nossa mensagem, motivar a população, mais novos e mais velhos, a lerem”, frisou Daniel Lima.

As escritoras Patrícia Muller e Maria João Lopo de Carvalho e o crítico literário Sérgio Guimarães de Sousa estiveram presentes na décima segunda edição do “Contratos de Leitura”.

Jornalista - Carteira Profissional Nº CO/1250