Menu

Política. “Um CDS forte evita uma maioria e um CDS fraco não evitará maioria”, garante João Pedro Lopes

O líder do CDS-PP de Esposende vei a público colocar “alguma calma” na militância centrista depois de um início, e como admite, “conturbado” da pré campanha. João Pedro Lopes, e em declarações esta tarde ao Esposende 24,  utliza mesmo uma frase de Paulo Portas para balizar aquilo que podem fazer os centristas em Esposende.

“Um CDS-PP forte evita maiorias, um CDS fraco não evita maioria”, referiu numa curta declaração, estando mesmo certo, e sem nunca se referir aquilo que pode ser o resultado das autárquicas, nem mesmo o desenlace desejado, que o CDS-PP é “o partido que decidirá estas eleições”.

João Pedro Lopes afirma mesmo que “o CDS de Esposende parece finalmente embalado para uma campanha” e “centrado” em iniciativas daquilo que considera ser “as verdadeiras dores de cabeça” dos esposendenses.

“Mais do que falar sobre as pessoas é importante que se fale do que realmente importa às pessoas”, frisou, apontando o caminho de reafirmar o partido com confiança e firmeza.

Instado a pronunciar-se sobre a gestão financeira neste período pre-eleitoral, o jovem popular respondeu claramente que “o problema não está nas 146 obras que o município anuncia”.

“O problema está nas 146 que estão por fazer e são, em muitos casos, bem mais urgentes que estas. A discussão não pode ser sobre fazer ou não mas sim, que obras são prioritárias. O CDS quer obras de proximidade e não de fachada. Queremos obras de solução e não de confusão, como são tantas destas”, destacou.

Questionado sobre quem é o candidato, João Pedro Lopes disse que “está escolhido há muito”, sem indicar o nome, apenas revelando que “têm sido muitos a oferecerem-se para liderar as autárquicas”.

Ainda que reconheça que possa ter conduzido o processo de forma precipitada numa fase inicial, João Pedro Lopes, garante que interessa pouco como “tudo começa, interessa é como acaba dia 1 de outubro”.

“Apelo a que todos se juntem ao que espera ser um movimento realmente de expressão popular”, apontou, dizendo mesmo que “se há alguém que usa o termo popular no nome, até somos nós”.

“Nós somos o verdadeiro partido das gentes comuns, como nós, nós orgulhamo-nos de ser realmente o partido popular”, avançou.

Quanto às especulações, e algumas notícias que dão nota de nomes possíveis nomes para encabeçarem as listas, onde se inclui o seu, João Pedro Lopes, o líder do CDS-PP de Esposende ironiza. “Quem se mexeu demasiado, ficou de fora na altura em que tiramos a fotografia”, frisou

João Pedro Lopes espera agora vero o CDS-PP local voltar a entrar na corrida autárquica e promete “uma campanha que marque pela diferença”.

“A maioria dos candidatos é incapaz de cumprir a primeira das suas promessas que passa por fazer uma campanha de ideias”, confidenciou, esperando que ” honrem todas os seus compromissos, e este muito em particular, centrar a campanha nas pessoas e nos seus reais problemas”.

“Um candidato que promete ideias e passa os dias a destilar ódios e debater minudências descredibiliza-se por si. Isso não queremos e não contem connosco para esse peditório. Queremos um partido audaz, arrojado, inovador e sobretudo, firme”, declarou João Pedro Lopes.

Jornalista - Carteira Profissional Nº CO/1250